Estudo de Estabilidade de Tensão em Sistemas de Distribuição com Alta Penetração de Geração Distribuída

Nome: Caroline Marim de Lima
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 08/10/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Oureste Elias Batista Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Augusto César Rueda Medina Examinador Interno
Marcel Ayres de Araújo Examinador Externo
Oureste Elias Batista Orientador

Resumo: A crescente utilização da geração distribuída (GD), principalmente a fotovoltaica, como forma de suprir a demanda mundial por energia elétrica trouxe desafios no planejamento e na manutenção dos sistemas elétricos de distribuição. A possibilidade de alocação em diferentes pontos da rede, assim como a variabilidade da capacidade de geração trazem diversos impactos,
inclusive nos níveis de estabilidade de tensão. Nesse trabalho será feita uma análise da estabilidade de tensão utilizando os alimentadores padrão IEEE A13N e A34N equilibrados e com inserção de geração distribuída fotovoltaica em diversos níveis de penetração. Foram analisados alguns aspectos técnicos, como a capacidade de geração e a localização da geração distribuída utilizando o índice de estabilidade de tensão denominado V/Vo. Esse método é de
simples cálculo, mas é capaz de identificar os barramentos mais instáveis dos alimentadores analisados enquanto os níveis de penetração da geração distribuída eram aumentados. Com isso, foi possível elaborar um ranking dos barramentos, do mais estável ao menos instável, à medida que os alimentadores eram modificados com a inserção da GD. Também foi possível identificar, através do mesmo índice, se a localização da geração distribuída era capaz de influenciar os níveis de estabilidade de tensão. Para corroborar a utilização do índice V/Vo foram geradas curvas PV para o alimentador A13N, a fim de comparar os resultados obtidos com ambas as análises. Constatou-se que, no geral, há uma melhora da margem de estabilidade de tensão com
a inserção de geração distribuída no sistema, porém, em alguns casos a elevada penetração acarretou em instabilidade de tensão e/ou sobretensões no sistema elétrico. A localização do gerador pode influenciar consideravelmente nos níveis de estabilidade de tensão dos alimentadores. A conexão da GD nas barras originalmente mais instáveis acarreta em benefícios maiores para o sistema, quando comparado a conexão em barras mais estáveis. Além disso,
quando conectada em algumas barras, a GD pode trazer instabilidade de tensão para todo o alimentador.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910